BLOG UNIGRANRIO

Saiba mais sobre a UNIGRANRIO. Descubra porque investimos no futuro e inovamos tanto em ofertas de cursos, quanto em infraestrutura que apoia sua formação.

Todos os Posts

15 de fevereiro - Dia Internacional da Luta contra o Câncer Infantil: Fique atento aos sinais e sintomas da doença

Tabu entorno do câncer infantil é a principal causa para diagnóstico tardio e menores chances de cura

O Dia Internacional da Luta contra o Câncer Infantil, celebrado todo dia 15 de fevereiro, busca conscientizar a população sobre a doença e alertar os pais e responsáveis a respeito da importância de se estar atento aos possíveis sinais e sintomas em crianças e adolescentes, o que aumenta as taxas de diagnóstico precoce e as chances de cura.

De acordo com Roberta Nolasco, Cirurgiã Pediátrica Oncológica e professora da Universidade Unigranrio Afya, o câncer já representa a principal causa de morte por doenças na infância no Brasil. No entanto, o que mais chama atenção é que, ainda segundo a especialista, isso acontece por conta do tabu que existe entorno da doença.

“Ainda existe um tabu muito forte quando se trata de falar sobre o câncer infanto-juvenil. Muitos médicos, inclusive, evitam tocar no assunto. O que acontece a partir daí é que, quando os sintomas aparecem na criança, os pais e os médicos evitam descartar a possibilidade de câncer logo no início, deixam para o final. Isso acaba atrasando o diagnóstico e diminuindo as chances de cura”, explica Roberta.

Quando há o diagnóstico precoce, as chances de cura são altas, podendo chegar de 80% a 85%, de acordo com a médica, que defende a importância de se levar a sério os sinais da doença. Os principais sintomas aos quais os pais devem estar atentos, segundo Roberta, são: febre prolongada (por mais de 3 semanas), perda de peso (mais de 10% do peso normal), palidez inexplicada, manchas roxas e indolores pelo corpo, caroços, dor nos ossos, dor de cabeça com vômito e reflexo branco nos olhos.

O diagnóstico precoce, que já é importante nos casos da doença em adultos, ganha peso redobrado quando se trata de crianças. Isso porque, nos adultos, além do diagnóstico precoce, outra forma de combater a doença é através da prevenção, tomando cuidado e evitando as causas externas mais comuns, como o fumo. No entanto, de acordo com Roberta Nolasco, essa possibilidade não existe com as crianças: no caso delas, não há causa externa.

“Nas crianças o diagnóstico precoce é ainda mais importante que nos adultos, porque é a única maneira que temos para tentar combater a doença. É essencial que os pais e médicos levem os sintomas a sério e descartem a possibilidade de câncer logo de início. Assim, caso seja de fato o câncer, ele será diagnosticado no início e as chances de cura serão maiores. Precisamos desmistificar o câncer infanto-juvenil para que possamos combatê-lo”, reforça a especialista.

Independente de uma data, devemos cuidar da nossa saúde num todo e prestar atenção em nosso corpo e os sinais que ele transmite.

Se você se interessa pela área, o curso de Medicina da Unigranrio Afya é referência. Aqui você aprende com excelência e tecnologia, indo muito além da sala de aula. Muito mais que uma carreira, cuidamos do seu propósito. Clique no link e saiba mais:

https://portal.unigranrio.edu.br/medicina-vestibular

Posts Relacionados

A luta contra a LGBTfobia: 3 lições que aprendemos com o Movimento LGBTQIA+

17 de maio é o Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia, e precisamos falar sobre essa luta diária contra o preconceito e a discriminação. Mas antes, vamos entender o que motivou a importância dessa data. No dia 17 de maio, em 1973, o termo homossexualidade foi retirado do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), e em 1990 a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID).

A importância do espaço de descompressão para o aluno de curso integral

Estudar em período integral não é fácil. Uma carga horária bem extensa com aula de manhã, de tarde e até de noite, ficando o dia inteiro na universidade.

Dia Internacional da Visibilidade Trans: Por mais representatividade e redes de apoio.

Rejane Prevot afirma que ainda há muito para ser orientado e dito, mas que os espaços já ocupados pela população trans são de extrema relevância