<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=122339528446832&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

BLOG UNIGRANRIO

Saiba mais sobre a UNIGRANRIO. Descubra porque investimos no futuro e inovamos tanto em ofertas de cursos, quanto em infraestrutura que apoia sua formação.

Todos os Posts

Conheça 3 opções de financiamento alternativas ao FIES

Você até já escolheu a faculdade ideal para você, mas está com medo de comprometer seu orçamento com as mensalidades? Não se preocupe! Aí entra o financiamento estudantil, uma alternativa bastante usada por estudantes que querem investir em sua formação em instituições particulares, mas não têm condições de arcar com o valor cheio das mensalidades. Nesse caso, só pagam o saldo devedor depois de formados! Não parece uma ótima ideia?

Para esse fim, por mais que o FIES seja a opção mais procurada, há alternativas de financiamentos estudantis que oferecem vantagens similares, sabia? Se quer entender melhor como funciona o financiamento estudantil e conhecer algumas das opções disponíveis, continue lendo!

198079-conheca-3-opcoes-de-financiamento-alternativas-ao-fies

O FIES

O FIES é um programa do Ministério da Educação que oferece financiamento estudantil a alunos de instituições particulares. Essa tem sido a primeira opção de muitos interessados, uma vez que suas taxas são baixas e seus prazos, longos.

Para você ter uma ideia, os juros do FIES giram em torno de 6,5% ao ano e, durante o curso, o estudante só tem o compromisso de fazer pagamentos simbólicos, de no máximo 150 reais, a cada 3 meses. O beneficiário só começa a pagar o financiamento 18 meses após a conclusão do curso e tem um bom prazo para saldar a dívida. Na prática, porém, o FIES apresenta muitas especificidades que podem fazer com que ele não seja uma escolha possível para diversos estudantes.

Para participar, é preciso se enquadrar em uma faixa de renda estabelecida, que corresponde a até 3 salários mínimos per capita na família. Também é preciso ter prestado o ENEM a partir de 2010 e obtido uma média superior a 450 pontos, além de não poder ter zerado a redação. E um último detalhe igualmente importante: nem todos os cursos são contemplados pelo FIES.

A boa notícia é que, se o estudante não se enquadra nas especificidades exigidas ou se o curso desejado não é contemplado pelo FIES, existem opções de financiamento alternativas que poderão ajudá-lo!

As alternativas

1. Financiamento estudantil dos bancos

Quais são os pré-requisitos?

Aqui, a principal condição é simplesmente que haja parceria entre a instituição de ensino e o banco em questão. Alguns financiamentos fazem uma avaliação de crédito, solicitando comprovação de renda e de negativação no SPC e no Serasa. Para contratar um financiamento nesses moldes, é preciso ser correntista do banco. Assim, se você ainda não tiver uma conta por lá, precisará abrir uma, ok?

Quais são as taxas e os prazos?

Os juros aplicados nessa modalidade costumam ser bem mais em conta que os de um empréstimo tradicional. Mesmo assim, porém, são mais altos que os juros praticados pelo FIES. Geralmente, os financiamentos estudantis de bancos privados dão o dobro do tempo para o pagamento da dívida. Financiando as mensalidades de um semestre, por exemplo, você poderá pagar em um ano. As condições gerais, como taxas e prazo para pagamento, variam de acordo com a instituição bancária.

Como fazer a inscrição?

Como as condições para a inscrição variam de acordo com o banco, será preciso procurar o gerente para se informar. Em alguns casos, é possível obter informações diretamente na faculdade.

Vale destacar que a Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) fechou uma parceria com 4 bancos a fim de oferecer financiamento estudantil facilitado para as faculdades particulares do Brasil. Os interessados devem procurar o setor de atendimento aos estudantes da instituição para se informar sobre as oportunidades oferecidas.

2. Financiamento estudantil de empresas de crédito

Existem empresas especializadas em oferecer financiamentos para pagamento de cursos técnicos, cursos superiores de graduação e de pós-graduação. Um exemplo é o PraValer Crédito Universitário, da empresa Ideal Invest.

Uma grande vantagem desse tipo de financiamento está na possibilidade de uso do limite de crédito para quitar até 2 mensalidades do curso que estejam em atraso — isso, claro, para alunos com o curso já em andamento. Os estudantes que têm desconto ou bolsa junto à universidade podem usar o financiamento para pagar o restante do valor da mensalidade.

Quais são os pré-requisitos?

Para ter acesso ao crédito, o aluno precisa comprovar renda familiar mensal igual ou maior a 2 mensalidades do curso. É preciso, ainda, ter um garantidor com renda de pelo menos um salário mínimo. A renda mínima do aluno pode ser composta pela renda do garantidor mais a sua ou somente pela renda do garantidor, se o aluno não estiver trabalhando ou não possuir renda própria. Além disso, tanto o estudante como o garantidor devem estar com o nome limpo no SPC e no Serasa.

Quais são as taxas e os prazos?

Os juros variam de 0% a 2,19% ao mês. Algumas universidades parceiras subsidiam uma parte dos custos do curso superior. Com o financiamento do PraValer, por exemplo, o prazo de pagamento é de 12 meses por semestre. Para os cursos de graduação, o aluno começa financiando no máximo um semestre, mas pode financiar o curso todo. A cada semestre, é possível recontratar o financiamento, sendo que as parcelas não se acumulam.

Em muitos casos, os valores do PraValer chegam bem perto dos valores do FIES, com a vantagem de não ser preciso passar por todas as exigências feitas pelo programa do governo.

Como fazer a inscrição?

As inscrições são feitas pela internet, com o envio da respectiva documentação também sendo feito online. Só isso já facilita bastante o processo, não concorda? E um último detalhe: não é necessário ter conta em banco.

3. Financiamento estudantil da universidade

Quais são os pré-requisitos?

Nesse tipo de financiamento, contratado diretamente com a instituição de ensino, é necessário já ser aluno da faculdade em questão. Interessado? Então procure sua universidade para se informar se ela oferece alguma opção de financiamento das mensalidades.

Quais são as taxas e os prazos?

Como era de se esperar, as taxas e os prazos de um financiamento contratado diretamente com a faculdade variam de acordo com a instituição de ensino. Procure a faculdade de seu interesse para se informar sobre eles!

Como fazer a inscrição?

O estudante pode procurar a instituição de ensino diretamente para perguntar sobre opções de financiamentos. Já sendo aluno da faculdade, as inscrições normalmente são bem simples, uma vez que a instituição já tem acesso à documentação necessária. Na maioria dos casos, basta procurar o setor de alunos da escola.

Como você pôde conferir neste post, existem outras opções, além do FIES, para quem vai fazer um curso de graduação em uma instituição particular e não quer comprometer seu orçamento. Já deu para identificar qual é o melhor modelo de financiamento estudantil para sua realidade? O importante é não desistir de fazer o curso de graduação de sua escolha!

Por fim, se você ainda tem dúvidas sobre as opções de financiamento estudantil privado disponíveis por aí, entre em contato conosco para que possamos ajudá-lo!

Novadfgdd call to action

Leia também: Financiamento estudantil vale a pena? Entenda aqui!

Posts Relacionados

Faculdade de Farmácia: saiba mais sobre essa formação!

Você está pensando em buscar um curso de Farmácia, mas ainda não sabe o bastante sobre essa graduação? Saber o que esperar no decorrer da formação profissional, assim como conhecer a situação do mercado é importante para qualquer estudante prestes a ingressar no Ensino Superior.

Engenharia Química: salário e mercado no Brasil

Já dizia uma célebre frase que “nada se cria, tudo se transforma”. A Engenharia Química é a ciência que se dedica ao estudo dos processos que alteram as características físico-químicas das matérias-primas para que elas se transformem nos mais diversos produtos.

O que faz um engenheiro de produção?

Um segmento destacou-se nos últimos anos pela alta procura no vestibular e pelas boas perspectivas de empregabilidade: a Engenharia de Produção. Apesar de ter ficado conhecido entre os estudantes, poucos sabem de fato o que é Engenharia de Produção e o que o engenheiro de produção faz.