<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=122339528446832&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

BLOG UNIGRANRIO

Saiba mais sobre a UNIGRANRIO. Descubra porque investimos no futuro e inovamos tanto em ofertas de cursos, quanto em infraestrutura que apoia sua formação.

Todos os Posts

O que é carreira acadêmica e como iniciar uma?

Você tem pensado muito sobre o caminho a seguir na sua vida profissional? Por acaso já cogitou a carreira acadêmica? Pois saiba: essa é uma excelente opção de trabalho para aqueles que gostam de estudar e têm gosto pelo conhecimento. Esse é seu caso?

Só para servir de aperitivo: professores universitários recebem melhores salários que docentes da educação básica e fundamental. Isso sem contar que ainda usufruem de condições de trabalho mais favoráveis, com espaço dedicado à pesquisa e a atividades de extensão, por exemplo. Está ficando cada vez mais interessado?

Por esses e tantos outros fatores, a carreira acadêmica pode ser um ótimo caminho para aqueles que, para crescer profissionalmente, gostariam de se dedicar de forma continuada aos estudos. Parece uma boa ideia? Continue lendo e entenda melhor!

o-que-e-carreira-academica-e-como-iniciar-uma

Entenda os diferentes níveis de pós-graduação

Antes de mais nada, é importante que entenda que existem diferentes níveis de pós-graduação, cada um com seu valor e finalidade próprios. Seja uma formação lato sensu, na modalidade especialização ou MBA, por exemplo, ou mesmo stricto sensu, com o mestrado e o doutorado, todas podem levá-lo à docência no ambiente universitário.

Vale ressaltar, porém, que mestres e doutores sempre terão preferência nesse meio profissional, uma vez que os cursos de mestrado e doutorado apresentam um perfil mais aprofundado voltado para o ensino e a pesquisa. Já a especialização geralmente foca no mercado de trabalho.

Existem sim algumas universidades (sobretudo particulares) que contratam professores apenas com especialização. No entanto, se quiser chegar mais longe e atuar nas melhores instituições de ensino do país, é essencial que considere a necessidade de atingir níveis de formação mais altos — até porque os salários são equivalentes à formação de cada docente.

Dedique-se aos estudos constantemente

É impossível ser um bom professor se você não gosta de estudar, não concorda? Se você conquista uma vaga em uma universidade como docente, mas não leva seus estudos adiante, corre o risco não só de ficar para trás, mas de efetivamente perder seu emprego em algum momento.

Além disso, profissionais acadêmicos estão sempre escrevendo e publicando artigos, participando de congressos e seminários, bem como desenvolvendo projetos de pesquisa e demais trabalhos junto aos alunos. Para dar conta de tudo isso, é necessário se preparar. E a dedicação constante aos estudos é o que permite que isso aconteça.

Participe de eventos acadêmicos

Como em qualquer outra área profissional, aqui você também precisa ser visto para ser lembrado. Só assim conseguirá consolidar seu espaço no campo do conhecimento a que se dedica. Além disso, a participação em eventos acadêmicos propicia o debate de ideias, promovendo o amadurecimento dos trabalhos apresentados e gerando novos insights.

Para o currículo e também para a plataforma Lattes, principal referência para profissionais universitários, a atuação em congressos, seminários, simpósios e demais eventos conta positivamente para o histórico do pesquisador ou docente. Em concursos para dar aulas em universidades federais, por exemplo, são contados pontos de acordo com a quantidade de eventos que o profissional participou bem como dos artigos publicados.

Nesse sentido, para se posicionar melhor profissionalmente quando a carreira acadêmica é sua escolha, é essencial se integrar aos acontecimentos do meio.

Construa um bom networking

Ninguém vai muito longe sozinho, não é verdade? Especificamente no caso do ambiente acadêmico, a qualidade dos seus contatos pode determinar até onde você chegará. Na prática, muitos estudos importantes em áreas diversas começam por meio de conversas informais nos corredores que, mais tarde, acabam se transformando em grandes projetos.

O mesmo acontece com intercâmbios e pesquisas de mestrado e doutorado fora do país. Se você desenvolve uma relação com um professor de uma instituição estrangeira e ele demonstra interesse pelo seu trabalho, vocês podem futuramente trabalhar juntos, criando conexões internacionais para alavancar a carreira de ambos.

Pense que os grandes feitos não começam por vias burocráticas e institucionais, mas sim pelo contato entre as pessoas, seja presencial ou virtual. Nesse sentido, usar as redes sociais profissionais também pode ser de grande valia, como o LinkedIn e o Academia.edu, voltado especificamente para o ambiente acadêmico.

Conheça o ramo em que quer atuar

A carreira acadêmica oferece amplas possibilidades de especialização nos mais diversos assuntos. Você pode ser desde um pesquisador de música hip-hop até um especialista em nanorrobótica. Tudo depende das áreas de conhecimento em que escolhe investir e em como articula os conhecimentos adquiridos com sua atuação na academia.

Nesse ambiente, assuntos cada vez mais abordados são a interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade. Explicando de maneira simples, trata-se da capacidade de conectar diferentes saberes em um mesmo trabalho.

Ainda que seja possível beber de diferentes fontes e que isso seja muito bem-visto no meio acadêmico, é importante lembrar que, profissionalmente, sua trajetória não pode ser entendida como uma colcha de retalhos. Trocando em miúdos: em algum ponto, as pessoas vão querer saber o que você estuda, o que faz e de que forma pode colaborar com a instituição. Nessa hora, você precisará dar uma resposta consistente.

Assim, se por acaso se graduou em curso da área de humanas e depois migrou para o campo da saúde, por exemplo, o ideal é que construa uma pesquisa ou um estudo conectando ambos os campos de conhecimento. Por mais que muitas pessoas migrem de um campo para o outro, aquelas que sabem fazê-lo com coerência é que conseguem criar conexões relevantes, não ficando perdidas na hora de atuar no mercado.

Aproveite a amplitude que a academia oferece para pensar:

  • se você quer continuar estudando na sua área de graduação;
  • caso queira migrar para outra área, como pode conectá-la com o conhecimento que já tem para não desperdiçá-lo;
  • sobre o ambiente acadêmico da faculdade em que quer lecionar;
  • se tem o desejo de estudar fora, como a temática da sua pesquisa pode ser conectada com universidades fora do país.

No Brasil, trabalhar exclusivamente com pesquisa ainda é um privilégio de poucas áreas do conhecimento, sobretudo aquelas atreladas a grandes indústrias, como a farmacêutica. É importante considerar, portanto, que um mestre ou doutor que permanece no país provavelmente atuará como docente, já que as possibilidades de se atrelar apenas à pesquisa costumam ser limitadas por aqui.

Por fim, se gostou de conhecer mais sobre a carreira acadêmica, aproveite para curtir nossa página no Facebook para continuar por dentro dos melhores conteúdos sobre vida estudantil e futuro profissional!

Nova call to action

Leia também: Trabalhar e estudar ao mesmo tempo: veja 6 dicas para se dar bem

Posts Relacionados

Faculdade e vida social: você consegue equilibrar?

Aproveitar a vida e sair com os amigos é sempre muito bom. Na juventude então, essa parece ser a única realidade que vale a pena, não é mesmo? O detalhe é que, com o término do Ensino Médio, logo chegam as responsabilidades do mundo adulto. Nesse momento costuma parecer que conciliar a faculdade e a vida social é simplesmente impossível. Surge aí a dúvida cruel: curso superior e diversão com os amigos são atividades compatíveis?

Trabalho em dupla: como não perder a cabeça em atividades em grupo?

Seja para concluir uma tarefa ou fazer uma prova em sala de aula, produzir um artigo científico ou elaborar um projeto como dever de casa, é extremamente comum ter que fazer trabalho em dupla durante a faculdade. E essa é uma ótima oportunidade, uma vez que 2 cabeças pensam melhor, sem contar que essa é sempre uma chance para interagir com os colegas, atuar em equipe, desenvolver novas habilidades e ter contato com outras visões de mundo. Normalmente, o resultado é bem mais rico.

Faculdade de história: o que você aprende no curso?

História é a área do conhecimento que estuda e analisa criticamente o processo histórico da sociedade considerando aspectos sociais, políticos, culturais, econômicos e religiosos em determinado tempo, espaço ou comunidade.